quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Astral..........Ciça Bueno




Créditos





O ano de 2012 é de movimento e mudança. Na numerologia, 2012 soma 5, número de liberdade e liberação. Dentro de um ciclo de 9 anos, o 5 indica um ponto de virada. Jogo de cintura e flexibilidade são as palavras de ordem para o ano que começa! Este é o quinto ano de um ciclo iniciado em 2008, quando Plutão, o senhor das transformações inevitáveis, entrou em Capricórnio, onde permanecerá até 2023.

* Plutão rege o inconsciente coletivo e é o planeta do poder. Sua passagem por um signo faz emergir o que ali está reprimido, e entra em cena sempre que há abusos de poder, matando o velho para que o novo possa emergir, promovendo renascimento. Desde 2008, o planeta do poder vem provocando alterações nas formas de poder e controle.

* Em 2012, Plutão deve intensificar as alterações climáticas e enfatizar a questão ambiental. É hora de acordar. Já Urano, o rebelde revolucionário, vai tensionar Plutão para que acelere as mudanças orquestradas por ele. Ousemos! Do ponto de vista pessoal, os mais ativados por tais ciclos serão os nativos do primeiro decanato de Áries, Libra, Câncer e Capricórnio.

* Netuno, o planeta que rege a inspiração artística e a espiritualidade, entrará em Peixes, seu signo regente, a partir de fevereiro, tornando o mundo ainda mais globalizado e dissolvendo barreiras culturais. Marte, o planeta das ações, entrará em movimento retrógrado - ou seja, andará para trás em relação à Terra - a partir de 24 de janeiro, afetando os nativos de Virgem até 14 de abril. O fenômeno só ocorre a cada dois anos e costuma arremeter os motores de alguma situação ou relação que passou dos limites.



* Entre maio e junho, fique atento. Vênus, a pequena benéfica, estará retrógrada, devendo ressoar sobre a vida dos nativos de Gêmeos. O fenômeno acarreta descompassos nas relações sociais e afetivas, e nos assuntos de caráter financeiro e material, além do comércio, das comunicações, transportes, documentos e papéis. O fenômeno deve afetar a todos nós, porque só ocorre a cada 8 anos.