sexta-feira, 20 de julho de 2012

Paraty........seus olhares....




 


 Paraty, a cidade e as festas, uma singular relação entre essas condições econômicas e a cultura local: “A construção da ferrovia Dom Pedro II e depois a abolição da escravidão tiraram de vez Paraty da rede de relações econômicas da região, levando o município a mergulhar num longo período de estagnação, no qual continuou cultivando suas histórias, seus costumes, sua religião e suas festas.”
E assim, isolados durante longos anos, sua bela arquitetura e seus costumes, seus pescadores e artífices, suas matas e suas ilhas, virgens do turismo e da especulação, mantiveram-se preservados, para serem redescobertos com o advento da Rio-Santos. A nova estrada despertou, como uma varinha de condão, a bela cidade adormecida para a realidade que conhecemos hoje.


Saberes e fazeres da cultura caiçara mantidos na tradição das artes e ofícios, na celebração de festas religiosas e no orgulho da sua história estão na origem da hospitalidade e franqueza com que os paratienses recebem as visitas.


O ambiente exuberante da serra, suas trilhas e cachoeiras; as muitas praias, quase desertas, no continente e nas ilhas próximas, emolduram a cidade histórica e as comunidades que a cercam.
Este cenário, naturalmente propício ao turismo, além das tradicionais festas religiosas e profanas, é hoje enriquecido pela realização de eventos culturais de âmbito internacional.
Assim, a natureza, a história e a cultura fazem de Paraty um destino de referência para o turismo cultural no Brasil e no mundo. 
E é assim que Paraty recebe........!

fotos :Claudia Moll

Festa do Divino....


A cidade enfeitada com bandeirinhas, estandartes, e alcatifas nas janelas – é por nove dias percorrida pela procissão das bandeiras vermelhas com uma pomba branca no centro (o símbolo do Divino Espírito Santo), acompanhada pela Folia e a Banda Santa Cecília. No sábado, um almoço é oferecido a toda a população; à tarde, o Imperador - um menino da família do festeiro - é coroado na missa, e passa a presidir os festejos: vai à frente das -procissões, comanda a soltura de um preso e a distribuição de doces às crianças, e assiste, de seu trono, danças folclóricas em sua homenagem. Uma grande queima de fogos encerra a festa.







Bourbon Festival Paraty



Patrocinado pela Prefeitura de Paraty, com apoio do Ministério da Cultura, por meio da Lei de Incentivo à Cultura e promovido pelo Bourbon Street Music Club, o evento se firmou com um dos mais importantes da cidade e já faz parte do calendário oficial do município. Todos os shows são abertos e gratuitos ao público.
Na edição do ano passado, o Bourbon Festival reuniu nomes do Jazz tradicional e moderno, Blues, R&B de New Orleans, Soul, Samba Soul e Música Brasileira sendo representados por treze atrações internacionais em três noites e duas tardes de shows nos dois palcos do evento. Outras novidades também foram apresentadas nessa edição, entre elas cinema, exposição de fotografias, after hours, “esticada” noturna com DJ’s e a inauguração do palco diurno, que ficou ao lado da Igreja Santa Rita e teve shows realizados à tarde, com artistas brasileiros.

Bourbon Festival Paraty 2012

Bourbon Festival Paraty 2012



 Fliper




Uma das novidades da Flip 2012  foi a praça entre a Tenda dos Autores e a Tenda dos Autógrafos. Ali, podem ser vistos os trabalhos do escultor paratiense Dalcir, da ceramista contemporânea Norma Grinberg, além da exposição Leitores, que apresentaram fotos de alguns autores que já passaram pela Flip, feitas pelo fotógrafo Walter Craveiro. 
































A ciranda é uma das mais importantes manifestações da cultura tradicional Paratiense. E para festejar os 10 anos da Flip, a Tenda da Flipinha recebe uma programação especial, onde os grupos cirandeiros de Paraty colocam todo mundo pra dançar.  Coroas Cirandeiros, o grupo de ciranda mais antigo de Paraty. Mestre Verino e seus companheiro subiram ao palco para mostrar a beleza e importância de se valorizar a cultura caiçara.

 

Festival da Pinga - Paraty reúne em festa seus alambiques tradicionais, cada um com seu estande, e uma programação de manifestações folclóricas e shows musicais. Criado em 1982 pela Associação Comercial e Industrial de Paraty para promover a aguardente produzida no município, o Festival é um dos mais antigos dedicados a essa bebida genuinamente brasileira.
A cachaça teve um papel fundamental na história de Paraty: a fabricação iniciou-se no século XVII, e em 1820 eram mais de 150 os alambiques.
Foi utilizada como moeda de troca no tráfico de escravos e a cidade se tornou um dos maiores centros produtores do Brasil, exportando para Portugal a sua cachaça de melhor qualidade.
A produção, que reduziu muito no período de decadência e isolamento da cidade, voltou a se ampliar nos últimos dez anos, incluindo um processo de desenvolvimento da qualidade que resultou na conquista do selo de Indicação Geográfica de Procedência “Paraty”, em 2007. Há cinco lojas especializadas na cidade, e são seis as cachaças que receberam o selo de qualidade:

Festival da Cachaça, Cultura e Sabores de Paraty 2012
 

 

 

Paraty é  uma cidade  que sabe receber .........e se doar aos seus visitantes...................





fonte:www.Paraty.com.br