sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Lojas vintage e brechós chiques são as novas fortes tendência

O vintage ,Second hand ou como prefere os brasileiros Brechó...Há muito tempo   deixou de ser um lugar onde se comercializava  apenas roupas usadas e baratas ou um antiquário ! Na gringa estas lojas estão crescendo cada vez mais ,marcas famosas de roupas e moveis estão aderindo esta nova opção de mercado de eco tendencia, onde a pegada é   Respeite-me apos me usar... atualmente estamos aprendendo que  o descarte não é legal....E o Brechó possue essa  pegada de manter o passado vivo na atualidade!
O vazio de referencias ao passado pode ate ser rejeitado ! mas nunca negado............ desde que os descolados começaram a frequentar os Brechós atrás de peças diferentes e únicas , para utilizar em  shows e festas o tema brechó vem se tornando sinônimo de estilo.....Estilos que vem ganhando ruas e passarelas .vem agregando clientela diversificada de jovens descolados e pro fissionais liberais....ate figuras conhecidas dos showbusines ,passando  por produtores de moda e estilista famosos .Geralmente um Brechó mais chique tem sua marca registrada pelo excelente acervo de peças de épocas recicladas . hoje seus proprietarios  estão de olho nas tendências mundiais...O publico que costuma frequentar um Brechó geralmente é cativo , pessoas viciam em ir num brechó pois se tem a impressão de que estão perdendo oportunidades ,afinal Brechó é sua eterna liquidação! E em tempo de orçamento apertado na gringa e começando por aqui, o fim do preconceito de comprar peças de segunda mão faz do negocio atinge um publico eclético,moderno geralmente amante das artes , afinal .O antigo agora está na moda....





latas-micasa


o velho e o novo na mesma prateleira.....

a-la-garconne-ambiente-moveis-vintage-fabio-souza-fachada

A fachada da loja À La Garçonne em São Paulo: a ambientação vintage é proposital © Divulgação
E o que há de consumível na decoração?
Criei uma história fictícia. O conceito era recriar a atmosfera de uma loja que teria sido fundada no ano 1929 e teria funcionado até meados dos anos 1950. De lá pra cá, o espaço fora abandonado, sendo reaberto nos dias de hoje sem nenhuma reforma, utilizando as características originais. Para isso, tive que percorrer muitas cidades (como Rio de Janeiro, Santos, Itu, Nova Iorque, Tóquio, Lisboa, Berlim, entre outras) para conseguir os móveis adequados e que estivessem propositalmente danificados para mimetizar o desgaste natural do tempo.

a-la-garconne-ambiente-vintage-fabio-souza-arara 

Quais critérios você segue para selecionar o acervo disponível na loja?
A ideia é ter um brechó atual, street, com peças que as pessoas queiram usar agora. Mas não descarto as peças muito antigas, étnicas ou que contam alguma história, pois considero importante conhecer e passar adiante o que se usou no passado e em culturas muito diferentes da nossa. Outra coisa que faço é reformar muitas das peças que compro, principalmente os vestidos, para que fiquem com a silhueta atualizada.

 
Brechó Monica Pondé
Formas, texturas, design simples e sofisticado, assim são as peças assinadas por Monica Pondé. Com lojas pensadas como se fossem ateliês, a designer conta com uma turma de primeira desde a ambientação das lojas e vitrines até as equipes de vendas; tudo e todos bonitos e chiques, mas nada blasè.
A inspiração se renova coleção a coleção e se mistura ao autêntico ar vintage percebido nos manequins envelhecidos, nas madeiras de demolição, objetos e esculturas garimpadas em feiras e viagens de pesquisa pelo mundo.
As peças de Monica semana sim, outra também estão entre as escolhas dos principais cadernos cariocas de moda e não é por acaso; seus colares, braceletes, brincos e anéis salvam qualquer mulher do lugar-comum na hora de compor o look! Basta um colar combinado a qualquer dobradinha jeans + camiseta que o visual bacana está garantido.