quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

100 anos do Rei do Baião!



Ser um artista atemporal e consagrado é privilégio de poucos, e Luiz Gonzaga é um dos grandes nomes da música popular brasileira que conseguiu consolidar, ainda em vida, essa consagrada atemporalidade.

Gonzagão foi quem apresentou aos quatro cantos do Brasil a essência da música popular do Nordeste, até então pouco conhecida. Fez do baião e de suas canções como sanfoneiro uma fonte de influências para as gerações de artistas brasileiros que viriam posteriormente.

Dentre tantos artistas influenciados pelo velho Lula podemos destacar Gilberto Gil como um dos mais importantes, mas é necessário citar Dominguinhos, Edu Lobo, Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, Alceu Valença e inúmeros outros. É vasto o legado deixado pelo Rei do Baião.


Aos 16 anos, Luiz Gonzaga já era conhecido como um sanfoneiro virtuoso na região do Araripe, divisa de Pernambuco com Ceará. Foi introduzido no instrumento por seu pai, Januário, e passou a tocar nas festas e feiras populares por módicos cachês, aprimorando suas habilidades musicais.

Gonzaga passou pelo exército, chegou ao Rio de Janeiro ,começou a delinear sua trajetória como um dos mais influentes artistas da música brasileira.

Passada a Era dos Cassinos e chegada a Era do Rádio, a música popular passou a ter uma veiculação massiva. A Rádio Nacional exercia o papel de integração cultural do país nas décadas de 1940 e 1950, sendo sucedida nessa função pela Rede Globo de Televisão na década seguinte. O rádio foi decisivo na afirmação das tendências e gostos da música popular.



Com a aparição de Luiz Gonzaga no cenário musical brasileiro, trazendo o baião como um ritmo atraente e novo, os ouvidos sulistas e interioranos do Brasil da década de 1940 se surpreenderam com a potência musical do Nordeste. A reboque vieram talentos como os compositores Jackson do Pandeiro, Hervê Cordovil e Zé do Norte, além de lançar ao estrelato as cantoras Carmélia Alves e Claudete Soares, conhecida como a Princesinha do Baião.

Gonzaga atingiu não só o sucesso nacional como internacional. Algumas de suas canções chegaram a ser gravadas por artistas estrangeiros, como "Paraíba", um de seus clássicos com Humberto Teixeira, gravado pela cantora japonesa Keiko Ikuta.

Por influência de um de seus primeiros parceiros musicais, o acordeonista gaúcho Pedro Raimundo, que usava trajes típicos do sul, Gonzaga assume sua identidade nordestina através das roupas. Passa a vestir o gibão de couro que marcou a sua imagem e ajudou a difundir a figura do vaqueiro nordestino que ainda hoje permeia o imaginário popular nacional.

Luiz Gonzaga foi muito mais que apenas um grande compositor e cantor de baião, xaxado e xote. O Nordeste brasileiro foi apresentado ao Brasil pela sanfona, pela voz e pela imagem de Gonzagão, que deixou marcas indeléveis na identidade nacional. Por sua contribuição, dia 13, seu aniversário, foi instituído como Dia Nacional do Forró.





fonte:todorio.com