terça-feira, 10 de julho de 2012

Dia de Pizza...........



Hoje é dia de tudo acabar em pizza! Mas dessa vez é no clima de comemoração mesmo… é que hoje é o Dia da Pizza! Hum

Dia da Pizza será comemorado hoje com versão gigante do prato; cidade é a 2ª em consumo de pizza no mundo

E como ela é nossa amiga em todos os momentos, dos vegetarianos aos carnívoros, preguiçosos amantes do delivery até os que curtem um bom rodízio, e ainda nos proporciona um clássico  toda sexta, sabado ou domingo!  vamos comemorar em bom estilo!


Pizza movimenta R$ 7,3 bilhões por ano em São Paulo
Capital paulista consome cerca de 1 milhão de redondas por dia, mais do que o triplo do ingerido em todo o restante do País
Diariamente, 1 milhão de pizzas são consumidas na cidade de São Paulo. Em um ano, portanto, são 365 milhões. Considerando que uma pizza é vendida por cerca de R$ 20, ela, sozinha, é responsável pela movimentação anual de R$ 7,3 bilhões na capital paulista. Os cálculos são do professor Celso dos Santos Silva, consultor técnico em gastronomia para o Sindicato de Hotéis,
São Paulo é a segunda cidade do mundo que mais consome pizzas, perdendo apenas para Nova York, segundo a Associação Pizzarias Unidas
Na “capital brasileira da pizza”, é possível escolher entre a tradição da “legítima napolitana”, feita com receita original trazida há mais de um século pelos imigrantes, ou aventurar-se por novidades gastronômicas que desafiam qualquer paladar, como a pizza de kani com shoyo e a de pasta de brigadeiro com sorvete de creme.
No Brasil, a pizza chegou com os imigrantes italianos, que se estabeleceram principalmente nos bairros do Brás e do Bexiga, na capital paulista. A receita que trouxeram era bem diferente do alimento rústico aprendido com os seus antepassado. Os napolitanos haviam acrescentado à massa dois ingredientes definitivos: o molho de tomate e o orégano. Também já usavam alguns poucos tipos de cobertura, principalmente mussarela, lingüiças, calabresa , o sempre lotado Margherita, conhecido pelos seus discos de massa fina com borda crocante, oferecidos em 40 sabores. Nessa casa, as antigas origens estão presentes em cada detalhe, como na decoração típica e nas mesas cobertas com toalha xadrez verde e branca ou vermelha e branca.Foi no Margherita que surgiu a primeira pizza de catupiry, em 1981. Mas a grande vedete do seu cardápio é a pizza que deu nome à casa. A margherita, que leva as cores da bandeira italiana – queijo branco, manjericão e tomate -, em homenagem à rainha Margherita, é a mais pedida, seguida da pizza de rúcula com tomate seco e mussarela. Tradicional, mas não ortodoxo, o Margherita apresenta algumas criações exclusivas, com destaque para uma farta pizza de dois andares, a double deck.


Um exemplo de fidelidade irrestrita às tradições é o Castelões, a mais antiga pizzaria da cidade, que funciona desde a sua inauguração, em 1927, no bairro do Brás. Até bem pouco tempo, a casa mantinha em seu cardápio apenas oito opções de pizza, as mais tradicionais: mussarela, calabresa, aliche, alho e óleo, provolone, Castelões, catupiry e escarola. A receita é a mesma desde o início: massa amanhecida na geladeira – feita com farinha de trigo, fermento, água, sal e óleo -, que se transforma em discos grossos com bordas altas e crocantes. Buscando desfrutar da magia proporcionada pelo apego à tradição, os clientes submetem-se com prazer a longas esperas na porta dessa pizzaria ortodoxa.
  
fonte:folha.com,