segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Creamfields Brasil 2013 no Stage Music Park, em Jurerê Internacional, Florianópolis – Confira o line up e valores dos ingressos



A edição 2013 do Creamfields tem data marcada para o dia 26 de janeiro de 2013
e pelo terceiro ano consecutivo acontece no Stage Music Park, em Jurerê Internacional,
Florianópolis. Desta vez, o festival de música eletrônica – que é considerado
um dos mais importantes do mundo – ganha um line up internacional ainda mais
diferenciado, composto por dez artistas. Além deles, a programação inclui
também sete atrações nacionais. No total serão 12 horas ininterruptas de música
eletrônica de qualidade.

O festival destaca dois headliners: Afrojack (Holanda) – o DJ e produtor é uma das maiores
revelações da música eletrônica da última década. Criador do popular estilo Dutch House,
faixas de sua autoria como “Take Over Control” e remixes para nomes como Beyoncé,
Pitbull e Snoop Dogg o tornaram um dos mais disputados artistas da atualidade
- e Luciano (Suíça) – ícone da cena underground européia, ele é fundador do cultuado
selo Cadenza Records. Suas produções e eventos atraem multidões em todo o mundo;
exemplo das famosas festas em Ibiza tanto no hotel Ushuaia quanto no mega club Pacha.

Além deles, a programação traz outros nomes de peso do cenário internacional:

• Laidback Luke (Holanda): referência global quando o assunto é Electro House
e Progressive. Adepto das mais pesadas linhas de baixo e batidas aceleradas,
seus sets e produções contagiam as principais pistas do planeta.

•Phonique Feat. Ian Whitelaw (Alemanha): é um dos principais nomes da House Music alemã,
com mais de 50 singles lançados. No Creamfields Brasil 2013, o DJ e produtor
se apresentará ao lado do vocalista Ian Whitelaw, com quem já trabalhou em seu álbum
“Good Idea”.

• D Nox & Beckers (Alemanha): a consagrada dupla tornou-se especialista
em grandes eventos com sets que variam do Tech House ao Progressive.

• Tale Of Us (Itália): a parceria entre os Djs Karm e Matteo está reescrevendo
a história do segmento mais lento e emocional da música eletrônica.
Juntos, eles proporcionam uma experiência sonora que mistura elementos do Techno,
House, Pop e também do Rock.

Art Department (Canadá): dois dos maiores nomes da cena Techno e House do Canadá,
Kenny Glasgow e Jonny White, resolveram juntar forças apenas em 2009.
O resultado é um misto de DJ Set e Live que se consagrou com faixas
como “Without You” e “Living The Life”.

•Danny Daze (Estados Unidos): ele descreve como sua principal missão no mundo
fazer as pessoas dançarem. Seus sets são sempre embalados pelo Techno de Detroit
e pela Italo Disco, cheios de influências dos primórdios de música eletrônica.

•tINI (Alemanha): é umas das mais promissoras figuras da cena eletronica européia.
Com residências em Ibiza, Londres e Milão, a garota chamou a atenção do famoso
selo Desolat, do qual é artista exclusiva.

•Mirko Loko (Suíça): residente da famosa festa “Cadenza Vagabundos”,

Para completar o time de atrações do Creamfields 2013 se apresentam
ainda os nacionais que despontam na cena da música eletrônica por aqui:

•Life Is A Loop: projeto dos DJs Fabrício Peçanha e Leozinho com o instrumentista
Rodrigo Paciornik que acaba de completar 10 anos de história.

•Rodrigo Ferrari: um dos mais festejados Djs e produtores brasileiros,
com mais de 20 anos de carreira, é um expert na pluralidade das pistas,
com um feeling musical que traz o melhor da House Music para cada momento.

• Renato Ratier: nome forte por trás do clube D.Edge, em São Paulo,
ele sempre se manteve fiel à House Music. Seus sets o levaram aos mais famosos
eventos mundiais como Ultra Music Festival, Cocoon e Lollapalooza.

• Leo Janeiro: os últimos anos foram especiais para a carreira deste DJ.
Tocando cada vez mais com regularidade em todo Brasil, ele tornou-se um dos mais
influentes Djs do país, evidenciado constantemente pela mídia especializada
como o grande nome carioca da cena eletrônica.

1. Old Is Cool: formado pelos DJs catarinenses Daniel Kuhnen e Rafael Pigozzi
e pelo VJ paulista Cadu Da Toro, o projeto quer resgatar músicas que marcaram
época nas pistas em uma noite divertida e cheia de surpresas.

• Teclas: argentino radicado no Brasil, o artista é conhecido por seus sets modernos
e criativos, que o levaram para as mais disputadas pistas de dança do mundo.

• Talking Props: o projeto vem inegavelmente levantando cabeças e abrindo ouvidos
no decorrer dos últimos anos com um pacote enxuto, mas não menos eficiente:
ideias simples conjuradas numa levada irresistível, criando aquele impulso incansável
que move multidões e falantes em ondas de força e deleite.

Em 2013, a terceira edição do Creamfields, em Florianópolis – que faz parte
do calendário oficial dos grandes eventos –, vem mais uma vez com super produção,
assinada pelo terceiro ano consecutivo pela Indústria de Entretenimento.
Além de uma programação diferenciada com importantes nomes da música eletrônica
(nacional e internacional), além de infra-estrutura e cenários de última geração,
o festival conta ainda com toda euforia e energia do verão catarinense.
O evento que espera receber aproximadamente 15 mil pessoas nas duas pistas,
conta com 36 mesas de camarotes e uma área VIP com acesso a serviços exclusivos.

No Brasil, as duas primeiras edições contaram com apresentações de artistas
como Erick Morillo, Above & Beyond, Hernan Cattaneo, Etiene de Crecy, Loco Dice,
Raresh, Guy Gerber, Gui Boratto, Felguk, entre outros (2011); e Tiefschwarz, Reboot,
Ellen Alien, Layo & Bushwacka, Nervo, Jamie Jones e Southmen. Além das atrações,
a produção e cenografia também ganharam destaques na noite que embalou o público
de aproximadamente 11 mil pessoas (2011) e 15 mil (2012).
O que era para ser apenas uma festa do lendário club Cream,
na cidade de Liverpool (Inglaterra) se transformou num gigante evento mundial
da música eletrônica. A primeira edição aconteceu em Winchester,
cidade ao Sul da Inglaterra, em 1998, e desde então o Creamfields tem conquistado
cada vez mais pessoas – a edição inglesa de 2012 recebeu cerca de 180 mil pessoas
durante os três dias do evento – e espaços ao redor do mundo. Dezessete países
já receberam a versão do festival e juntos estrelaram mais de 700 apresentações
de renome.
Por essas e outras razões não é de se admirar que o Creamfields foi eleito o melhor
festival de música eletrônica por crítica e público. O festival coleciona uma invejável
lista de prêmios, entre eles: “Festival Event of the Year” (House Music Awards),
duas vezes “Event of the Year” (Muzik Awards) e quatro vezes“Best Dance Festival” (UK Festival Awards).





foto:divulgação